Carnaval 2013 (e o tamanho ideal de câmera para ser considerado um fotógrafo de verdade)

No Carnaval deste ano eu não me retirei para as montanhas para meditar passando a mão na barba, como de costume. Fui convidado pela equipe do Google Brasil para participar de uma ação do Google+: a cobertura dos cinco dias de Carnaval em várias cidades do país. Fui para a rua e acompanhei sete blocos: Carmelitas, Céu na Terra, Sassaricando, Cordão do Boitatá, Cordão do Boi Tolo, Sargento Pimenta e Orquestra Voadora.

Algumas fotos da festa (mais nesse link):

(Se seu interesse é só ver as fotos do Carnaval, pare por aqui. Se quiser gastar mais um tempinho pensando, continue.)

Por se tratar de um trabalho que seria veiculado só na internet, em baixa resolução, fiz uma grande parte dessas fotos com uma câmera DSLR de entrada e lente do kit (uma Nikon D3000 com uma 18-55mm, que está à venda, inclusive. Interessados deixem um comentário) e percebi algumas coisas curiosas.

Em primeiro lugar, a resposta do público. Comigo estava um amigo que levava uma linda e grande Canon 5DmkIII e uma majestosa 70-200mm. Alguém com esse tipo de equipamento só pode ser um fotógrafo importante, então as pessoas posavam para ele felizes, fazendo festa. Comigo era um pouco diferente. Afinal, fotógrafo de verdade não usa câmera pequena, não é?

Depois de observar a resposta das pessoas em geral, vem os colegas de profissão. Encontrei muitos amigos trabalhando para veículos de imprensa, todos superequipados, claro. Mas eram muitos fotógrafos de imprensa e eu não conhecia todos ali. Um desses desconhecidos me pediu licença, como se eu estivesse atrapalhando, e argumentou "Eu estou trabalhando, amigo! Por favor!", como se eu fosse só um convidado enxerido com uma "câmera que troca lente". 

Por fim, decidi começar a levar minha câmera normal de trabalho, por dominar e confiar melhor nela, e percebi a mudança nas pessoas. Deixei de ser um metido com uma câmera no meio da multidão e passei a ser um fotógrafo. É interessante pensar no efeito que uma câmera faz nas pessoas. Hoje, existem câmeras compactas bem melhores que algumas DSLRs, sem falar no tal do "olhar" de cada fotógrafo, e mesmo assim o nosso juizo de quem é ou não um fotógrafo "de verdade" está diretamente relacionado ao tamanho e modelo da câmera que o sujeito carrega no pescoço. E quanto mais lentes e bolsas acolchoadas leva ao redor da cintura, mais fotógrafo se torna. Colete e chapéu caqui é um bônus, caso tenha. Culpa da publicidade das marcas,  da ingenuidade da gente aqui fora, ou um conjunto dos dois? Vai saber...

[atualização]

Talvez tenha me expressado mal. Não estou defendendo o uso de câmeras e lentes de  qualidade inferior. É preciso bom senso sempre. Em alguns casos você vai precisar, sim, de uma câmera fullframe (às vezes até médio formato digital) e lentes de qualidade superior. Mas são casos específicos, distante do dia a dia da maioria dos fotógrafos. A maior parte dos profissionais trabalham com pequenas impressões e internet. Ninguém precisa de uma Phase One de 60 megapixel para imprimir albuns pela internet para um cliente que só vai se importar em sair bem na foto. Nesse caso, usei uma câmera de entrada porque o produto final seriam fotos em baixa resolução para internet. Você precisa saber para quem está trabalhando e, principalmente, em que mídia vai parar o seu trabalho. Minha intenção não é levantar discussão sobre equipamento, mas colocar uma observação curiosa que eu fiz na rua, na hora do vamos ver. Bom senso, sempre!