Dá pra fazer alguma coisa legal com o flash em cima da câmera?

Depois de toda aquela tapioca em Boa Vista, fui comer um pão de queijo lá Viçosa, MG. Minha segunda vez com a oficina numa universidade federal (olha a responsabilidade). E que universidade! É um mundo aquele campus.

Mas agora não era só a oficina. Na noite do dia anterior rolou uma palestra sobre fotografia e responsabilidade social, onde pude falar um pouco de projetos legais como o Help Portrait, O Special Kids, e contar minhas experiências ministrando oficinas como essa. Teve marmanjo com os olhos molhados depois de ver o vídeo da Laurimar (é, não pense que eu não vi você chorando), então acho que a missão foi cumprida. Já tem uma galera armando uma ação do Help Portrait por lá.

O ambiente da oficina era ideal para dar um exemplo de como a gente pode usar o flash em cima de camera de forma interessante. A sala era ampla, com janelas grandes, teto branco e paredes em um tom claro de amarelo. O modelo (Daniel Lopes) pode não ser grande coisa mas só pra dar o exemplo tá bom, né?

photo 1

photo 1

Nessa foto eu não me importei com a luz ambiente. O flash está em TTL rebatendo em um teto branco. Tudo bem com essa foto. Fazemos fotos iguais a essa em vários eventos. Mas, na verdade, o que eu via ali na hora era esse recorte amarelado. Uai, se a natureza tá me dando essa luz de presente, porque não usar?

photo 2

photo 2

Foi só uma questão de diminuir a velocidade do obturador e o amarelo já apareceu. Mas eu não gostei da luz branca do flash rebatendo no teto, fazendo essas sombras nos olhos e, por causa dos óculos, também no rosto.

photo 3

photo 3

Rebati o flash na parede, que é amarela, e pimba! Cheguei onde eu queria: aproveitei a luz que eu via no ambiente e adicionei um flash de acordo com ela.

photo 4

photo 4

Essa foi fácil, né?

Não posso deixar de agradecer à Mariana Tiso, ao Rodrigo Castro e a todo pessoal do centro acadêmico de jornalismo lá da UFV, e também a toda a galera que participou. Vocês foram ótimos!