Das voltas que o mundo dá

Minha primeira viagem de verdade, daquelas que se faz pra um lugar onde nunca se foi e onde não se conhece gente, foi a São Paulo. Eu tinha 17 anos e alguns trocados. Ainda me lembro de chegar completamente perdido naquela rodoviária do Tietê.

Uno, dos, tres, catorce vezes… lá estava eu, um carioca, amando São Paulo. Nas últimas visitas eu cultivei o hábito de chegar bem cedo pela manhã e ir direto tomar café na Av. Paulista. Como geralmente era sempre muito cedo pra encontrar algum dos amigos, depois do café eu caminhava pela avenida e muitas vezes eu imaginava como seria morar por ali.

Hoje não preciso mais imaginar.